sábado, 15 de agosto de 2009

SONETO de IALMAR PIO - AQUARELA de ÂNGELA PONSI

THÊMIS - Aquarela de Ângela Ponsi


SONETO DA PAIXÃO ARDENTE


Uma paixão ardente envolve-me os sentidos
em desejos febris jamais imaginados,
pois nesta solidão, carecendo de agrados,
os minutos de amor são mais apetecidos.


Quando unido ao meu peito em lânguidos gemidos,
teu coração pulula, os seios agitados,
a boca a sussurrar, os lábios desbotados,
os carinhos assim sempre são incontidos.


Não podes reprimir nem eu reter consigo
a expressão passional que em nosso ser fulgura
e arrasta-nos com fúria à beira do perigo.


Depois de tudo ainda esquálidos, exaustos,
buscamos desfrutar na taça da ventura
o resto que sobrou aos derradeiros haustos...


IALMAR PIO SCHNEIDER

Um comentário:

  1. Caro Ialmar,

    Seus sonetos são belíssimos. Grande abraço! Angela

    ResponderExcluir